Mesmo com perspectivas de crescimento nas vendas,
corredores ainda estão vazios se comparados
ao mesmo período de 2015; Movimento deve
aumentar até sábado dia 24 véspera de Natal

*Matéria especial:
Economia B.A (Consumidor)
Felipe de Jesus

Com a expectativa das festas de Natal, as famílias já começam a se preparar para ir aos super e hipermercados de Belo Horizonte e Região Metropolitana (RMBH) para comprar produtos para a ceia, tanto que de acordo com pesquisa da Associação Mineira de Supermercados (AMIS), as vendas da data podem ter crescimento de 3,6%. Todavia, os corredores dos supermercados ainda estão vazios conforme verificou a reportagem do ‘Brasil Agora (B.A)’ no dia 21 de dezembro (quarta-feira) e pelo visto, nem mesmo o recebimento da segunda parcela do 13º está animando muito os consumidores. A equipe do B.A esteve na Região do Centro e do Bairro Prado para saber como estão os preços, se  consumidor tem feito pesquisas e se tem comprado tudo o que precisa para realizar a sua ceia de Natal.

Pequenas filas para fazer o pedido no açougue
(Foto: B.A)

Em entrevista ao B.A, a comerciante e universitária Silvana de Castro,  56, disse que para comprar alguns itens para sua ceia precisou olhar bastante e mesmo comprando em um supermercado mais popular, os preços ainda estão bem inflacionados. “Não poderia deixar de dizer que tudo ainda está caro se formos realmente avaliar. Basta olhar para os corredores vazios para afirmar o que estou dizendo, não tem quase movimento nenhum. Como não posso deixar de comprar para fazer o meu Natal, estou me adequando ao máximo aos preços e avaliando item por item antes de por no carrinho. Em alguns produtos consegui um preço mais em conta, por exemplo, o Vinho Tinto de 1 litro por R$14,80. No ano passado a mesma garrafa estava quase R$20. Já o Panetone vou ter que deixar para traz porque pagar entre R$18,90 e R$22, 50 (no comum ou no recheado) não dá não”, disse.

Promoções podem ajudar os consumidores nesse ano
(Foto: B.A)

Em relação a forma de pagamento, Silvana de Castro disse que sua opção foi o cartão de crédito, já que precisou comprometer seu 13º salário com outros pagamentos. Para ela a pesquisa de preço ainda é a melhor saída. “A melhor forma que encontrei para não deixar de comprar junto com meu filho foi usando o cartão de crédito. Esse ano os preços estão um pouco inflacionados em relação ao ano anterior e, além disso, a situação econômica que estamos vivendo faz a gente ter que apertar o cinto para não ficar endividado.  A minha dica nesse caso e a pesquisa,  pois apenas com ela dá para fazer compras”,  comentou.

13º Salário

Já para o engenheiro André Paiva, 42, que estava em um hipermercado da Região do Prado, mesmo utilizando a segunda parcela do 13º salário ficou um pouco difícil fazer a mesma compra do ano passado. “O que não podemos deixar de dizer é que os preços do ano passado ainda estavam bem melhores do que nesse ano de 2016. Por esse motivo estou atrás de promoções, tanto que vou substituir o Peru que está R$14, 80 (mais em conta); pelo já o Frangão por R$6, 98 o quilo. A minha idéia é levar tudo o que tudo o que comprei no ano anterior e se der de quebra levar o Pernil que está na faixa dos R$13, 90 o quilo”, completou.

Ainda para André Paiva, a pesquisa de preços também é o melhor caminho para se comprar com qualidade e satisfação total.  “Nem sempre da para juntar em uma compra: qualidade e preço. Todavia arrisquei vir aqui porque esse é um dos hipermercados mais baratos que existe na Região. A pesquisa ainda é em minha opinião a melhor saída para se gastar menos e com total responsabilidade”, completou.

Tranquilidade nos corredores pode acabar a partir da sexta-feira dia 23
(Foto: B.A)

(Pesquisa)
Alguns produtos para a mesa de Natal

Para compor a mesa festiva desse ano, alguns itens indispensáveis pelas famílias foram avaliados pela reportagem como o Vinho Tinto; Peru; cerveja; Panetone; Azeite de Oliva e algumas carnes.  O Vinho Tinto de 1 litro sai por R$14, 80 (preço mais em conta); Azeite de Oliva (entre R$6, 80 e R$12, 90); Panetone comum e recheado variam entre R$18,90 e R$22, 50. Além desses produtos, o quilo do Peru está R$14, 80 (preço mais em conta); já o Frangão (R$6, 98). O frango (comum) pode ser encontrado entre R$6, 98 a R$11, 90 e para os amantes do Pernil, o preço varia entre R$9,98 e R$13, 90 o quilo.

Os estabelecimentos pesquisados podem
ser consultados por meio do nosso
email:brasilagoraonline@gmail.com

Sobre o autor

Related Posts

Leave a Reply

Your email address will not be published.

comentários