“Quero que me peçam desculpas” (Luiz Inácio Lula da Silva,
sobre  acusações – Operação Lava Jato)

 

 

*Jornalista / Editor Geral BH/MG
*Brasil Agora (B.A)

*Felipe José de Jesus
*Fotos de cobertura: Daniel Stone
*Imagens cedidas gentilmente pelo profissional

*Siga o Instagram: @felipe_jesusjornalista_
*Brasil Agora “O País Levado a Sério”

 

A disputa para a Presidência da República nunca esteve tão acirrada no país. Isso porque em 2018 diversos candidatos estarão disputando o olhar e as atenções dos eleitores, entre eles novos nomes como o de Jair Bolsonaro (PSC-RJ), Luciano Huck (apresentador de TV) possivelmente pelo (PPS) e nomes já conhecidos como de Aécio Neves (PSDB) e do popular Luis Inácio Lula da Silva (Lula) do PT. Em visita a capital mineira no dia 30 de outubro (Praça da Estação/Centro da Cidade), Lula levou várias pessoas para o local para conversar sobre os rumos do país e para levantar bandeiras importantes (algumas já velhas) como saúde, educação e claro, incremento ao crescimento da economia. Mesmo sendo temas já levantados e antigos, Lula trouxe a discussão com novo fôlego para tentar a partir de 2018 mudar os rumos do país que atravessa um PIB complicado, com crescimento de 1% no 1º trimestre de 2017 após oito quedas seguidas.

Diversos apoiadores estiveram presentes (Foto: Daniel Stone)

Em momentos complicados na economia brasileira e com o presidente Michel Temer (PMDB) em declínio, pelo menos pela “baixa popularidade”, o cenário se mostra propício para que os futuros candidatos já comecem a mostrar que é preciso mudar as coisas e foi nesse sentido também que Lula, acompanhado por Dilma Rousseff e o governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, estiveram juntos no mesmo palco. A equipe de reportagem esteve na Praça da Estação em BH/MG para ver o que o futuro candidato a presidência. Em seu discurso de quase 40 minutos, Lula manteve firme o foco na saúde e também na educação como chave potencial para o futuro do país.

Como esperado também, Lula falou do governo de Michel Temer (PMDB) e questionou as ações da justiça que o ameaçam de concorrer nas próximas eleições. Atualmente ele está com candidatura ameaçada por causa de processos da Operação Lava-Jato. Mas esperançoso, ele disse também que apenas as urnas podem impedi-lo de voltar ao Palácio do Planalto. De acordo com Lula, sua casa foi revirada pela justiça em busca de provas e, mesmo sem encontrar nada, ele continua sendo julgado. Para ele não é uma questão de ser inocentado. “Não quero ser inocentado, quero que me peçam desculpas”, comentou em seu discurso para os presentes.

Euforia no evento e apoio total a Lula (Foto: Daniel Stone)

Pimentel e Dilma ))

Quem também esteve na praça foi à ex-presidente Dilma Rousseff, o senador Lindbergh Farias e o atual governador do Estado, Fernando Pimentel. Durante o ato eles também falaram sobre o governo atual e das possíveis mudanças para 2018. Se a eleição presidencial de 2018 fosse hoje, o segundo turno seria disputado entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ), aponta pesquisa realizada pelo Ibope. Na pesquisa estimulada, em que os nomes dos candidatos são apresentados aos eleitores, o petista teria 35% das intenções de voto contra 13% do parlamentar. O encerramento da Caravana de Lula teve a participação de mais de 5 mil pessoas na Praça das Estação em Belo Horizonte / MG.

 

 

Confira abaixo os números do cenário atual ainda
sem alguns possíveis candidatos ao pleito.
(Fonte: Data Folha)

 

— Lula (PT): 25%

— Marina Silva (Rede): 15%

— Aécio Neves (PSDB): 11%

— Jair Bolsonaro (PSC): 9%

— Ciro Gomes (PDT): 5%

— Michel Temer (PMDB): 4%

— Luciana Genro (Psol): 2%

— Ronaldo Caiado (DEM): 2%

— Eduardo Jorge (PV): 1%

— Branco/nulo: 20%

— Não sabe: 6%

Leave a Reply

Your email address will not be published.

comentários