A doutora Lais Simas explica os riscos
do uso inadequado de agentes
clareadores dentários

Devido a insatisfação com aparência dentária as pessoas estão cometendo erros gravíssimos, causando riscos aos dentes e a saúde. A fim de evitar essa prática, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu a venda do produto, sem prescrição de um dentista.

O dentista deve avaliar o paciente de forma particular e indicar a concentração e substância mais indicada para cada caso, levando em consideração trincas dentarias, retrações gengivais e caries. O uso inadequado do agente clareador pode causar uma hipersensibilidade dentinária, lesões em tecidos moles, gástrite e úlceras gástricas ou até uma necrose pulpar.

Existem dois tipos de clareamentos: o feito em casa com moldeiras confeccionadas individualmente para cada paciente sob as orientações do dentista, e o realizado no consultório sendo necessário uma proteção gengival devido a alta concentração do agente clareador podendo ser fotoativado ou não pelo laser.

Venda indiscriminada

O que vemos hoje é a venda indiscriminada pela internet sem orientação profissional. Baratos e de fácil acesso os clareadores escondem os efeitos nocivos à saúde da população. Os estudos indicam que quanto mais concentrada a solução clareadora e quanto maior o tempo de uso, maiores são os riscos de efeitos colaterais. A banalização desse tratamento esta colocando em risco a saúde dos usuários por isso é importante esclarecer as dúvidas sobre essa prática.

“Meu intuito é alertar aos pacientes que estão fazendo uso inadequado de clareamentos feitos em casa sem qualquer acompanhamento de um profissional especializado – Dentista”, afirma a doutora Lais Simas.

Fonte: @dralaissimas

Leave a Reply

Your email address will not be published.

comentários