Prática ajuda na conscientização e preservação ambiental, diminui o estresse e aumenta a capacidade de percepção; Santuário do Caraça é um ótimo local para realizar a atividade, pois, além de estar localizado próximo a capital mineira, possui mais de 380 espécies para observação

Observação de aves: uma prática antes muito atribuída a profissionais das ciências biológicas se tornou uma ótima opção de hobby e, até fonte de pesquisas para diversas pessoas de várias faixas etárias e profissões. O ato também é chamado de birdwatching ou passarinhar, como é popularmente conhecido.

De acordo com os dados da Avistar Brasil, grupo que promove o maior encontro de praticantes da modalidade no país, existem mais de 35 mil observadores de aves no país. E não poderia ser diferente, já que o território nacional é o segundo maior do mundo em número de aves, passando de mais de 1.900 espécies, o que totaliza cerca de 20% das aves do mundo, de acordo com pesquisa feita pela Save Brasil, braço da BirdLife International.

Além de auxiliar, e muito, para a preservação e conscientização ambiental e catalogação das espécies, a modalidade faz muito bem para quem a pratica. Pesquisas da Universidade de Exeter, na Inglaterra, apontam que observar aves, mesmo que em ruas perto de casa, ajuda a combater a depressão e a ansiedade. O estudo comprovou que as pessoas que moram em bairros arborizados e com mais aves por perto, tem menos chances desenvolverem problemas de saúde, como o estresse. A pratica também estimula e aprimora a capacidade de atenção e os sentidos, como audição e visão.

Para começar a praticar o birdwatching não é necessário nenhum alto investimento ou especialização, os observadores precisam, geralmente, de um binóculo de qualidade e um guia de bolsa, para auxilia-lo na identificação das espécies. Uma outra característica fundamental dos adeptos é não ter preguiça de levantar cedo da cama, pois o melhor horário para fazer a observação é pela manhã, quando as aves estão mais ativas.

É muito fácil encontrar espécies em praticamente todos os ambientes, portanto, as aves podem ser observadas em praças, parques e jardins das cidades. Para observar espécies mais raras é necessário sair das zonas urbanas e se aventurar em verdadeiras e divertidas expedições. Um ótimo lugar para ter esse contato com as aves é no Santuário do Caraça, na divisa dos municípios de Barão de Cocais, Catas Altas e Santa Bárbara, em Minas Gerais. Composto por quase 13 mil hectares de Mata Atlântica, Campos Rupestres e Cerrado, com diversas trilhas desde as mais curtas, até as que levam horas de caminhadas, passando por belíssimas cachoeiras, o Santuário possui mais de 380 espécies de aves, algumas existentes só naquela região e com risco de extinção.

Marcelo Vasconcelos, mestre e doutor em aves das montanhas do leste do Brasil, e guia do Caraça, diz que é crescente a visita de adeptos da prática ao Santuário, inclusive de outros países. “Nunca guiei o mesmo grupo, ou pessoa, por mais de uma vez. Geralmente, isso é muito difícil. O observador de aves tende a ser ‘nômade’, escolhendo conhecer mais lugares, e mais aves, do que ficar voltando sempre a um mesmo local e vendo as mesmas espécies. Já recebemos visitantes, que vieram praticar o birdwatching, de diversas localidades do Brasil e até mesmo de outros países. E isso é muito interessante, pois a atividade garante um aprendizado constante, ou seja, quanto mais espécies um observador aprender a identificar, mais habilidoso ele ficará para novas observações. Assim, sempre haverá a possibilidade de observação de espécies ainda não conhecidas, raras ou de beleza única, tornando a atividade muito divertida e recompensadora”, afirma.

Entre as aves com risco de desaparecem, e que podem ser encontradas no Caraça, estão: O Macuco, o Uru, a Águia-Cinzenta, o Gavião-de-Penacho, O Falcão-de-Peito-Laranja, o Negrinho-do-Mato e várias outras espécies. Quem vai ao Santuário praticar a modalidade, sempre está em busca dos maravilhosos Beija-Flor-de-Gravata-Verde, Formigueiro-da-Serra, Tapaculo-Serrano, Garrincha-Chorona, Tesourinha-da-Mata, Papa-Moscas-de-Costas-Cinzentas e do Rabo-Mole-da-Serra.

Para praticar o birdwatching no Santuário do Caraça, é recomendado que o observador se hospede nas acomodações disponíveis no local. Assim ele pode começar a expedição bem cedo, explorando melhor as trilhas, sem precisar se preocupar com o horário de funcionamento do local. Os meses de primavera e verão (de setembro a março) são os melhores para realizar a modalidade, já que as aves estão mais ativas, pelo fato de a estação reprodutiva da maioria das espécies se concentrar neste período.

O Santuário do Caraça funciona todos os dias da semana, das 08h às 17h para visitação e 24 horas para hospedagens previamente agendadas. A taxa de entrada para visitação custa, a partir de R$ 12,00. A hospedagem, com pensão completa, varia entre R$ 143,00 e R$ 220,00, por pessoa, a diária, dependendo da acomodação. Para mais informações e reservas acesse o site http://www.santuariodocaraca.com.br/.

 

Serviço

Santuário do Caraça

Local: Estrada do Caraça, KM9 – Entre os municípios de Barão de Cocais, Catas Altas e Santa Bárbara – CEP 35969-000

Fácil acesso pelas rodovias BR 381 e MG 436, além do charmoso acesso por trem (Estação Dois Irmãos – Barão de Cocais/MG)

Horário de Funcionamento para visitação: Todos os dias, das 08h às 17h

Valores: a partir de R$ 12,00

Hospedagem: (Diárias)

Fazenda do Engenho:

R$ 243,00 para 1 adulto

R$ 162,00 por pessoa para 2 ou mais adultos

R$ 81,00 por criança de 6 a 12 anos (no mesmo apto dos pais)

 

Santuário do Caraça

 

Suítes Imperiais (São 2 suítes para casais – Lado direito do Santuário, andar superior)

R$330,00 para 1 adulto

R$220,00 para 2 ou mais adultos (por pessoa)

R$110,00 por criança de 6 a 12 anos (no mesmo apto dos pais)

 

Sobradinho Afonso Pena (São 4 apartamentos, a ala comporta 14 pessoas – Parte externa do Santuário, sobre a recepção – escada)

R$303,00 para 1 adulto

R$202,00 para 2 ou mais adultos (por pessoa)

R$101,00 por criança de 6 a 12 anos (no mesmo apto dos pais)

Ala do Irmão Lourenço (São 9 apartamentos, a ala comporta 24 pessoas – Lado direito, abaixo da Ala do Santuário – escada)

R$303,00 para 1 adulto

R$202,00 para 2 ou mais adultos (por pessoa)

R$101,00 por criança de 6 a 12 anos (no mesmo apto dos pais)

Ala do Santuário (São 8 apartamentos, a ala comporta 24 pessoas

(Lado direito do Santuário, andar superior)

R$303,00 para 1 adulto

R$202,00 para 2 ou mais adultos (por pessoa)

R$101,00 por criança de 6 a 12 anos (no mesmo apto dos pais)

 

Ala do Claustro (São 5 apartamentos, a ala comporta 15 pessoas – Próximo ao relógio do sol – parte interna, ao lado do Santuário)

R$303,00 para 1 adulto

R$202,00 para 2 ou mais adultos (por pessoa)

R$101,00 por criança de 6 a 12 anos (no mesmo apto dos pais)

 

Ala da Carapuça (São 10 apartamentos, a ala comporta 20 pessoas – Parte externa do Santuário, em frente ao Museu e Biblioteca)

R$303,00 para 1 adulto

R$202,00 para 2 ou mais adultos (por pessoa)

R$101,00 por criança de 6 a 12 anos (no mesmo apto dos pais)

 

Chalé (Comporta 4 pessoas, sendo um quarto com uma cama de casal e duas de solteiro. Ocupação mínima – 2 adultos):

R$235,50 para 1 adulto

R$157,00 para 2 ou mais adultos (por pessoa)

R$78,50 por criança de 6 a 12 anos (no mesmo apto dos pais)

Casa da Ponte (Comporta até 15 pessoas, sendo dividida em duas partes: Parte principal – 12 pessoas. Ocupação mínima – 6 adultos e Suíte – 3 pessoas. Ocupação mínima – 2 adultos. As duas partes podem ser reservadas separadamente)

R$235,50 para 1 adulto

R$157,00 para 2 ou mais adultos (por pessoa)

R$78,50 por criança de 6 a 12 anos (no mesmo apto dos pais)

Ala dos Irmãos (São 8 quartos, a ala comporta 20 pessoas – Lado esquerdo do Santuário, abaixo da Ala do Claustro – escada)

R$235,50 para 1 adulto

R$157,00 para 2 ou mais adultos (por pessoa)

R$78,50 por criança de 6 a 12 anos (no mesmo apto dos pais)

Crianças de até 5 anos (no mesmo apto dos pais) não pagam

Reservas: centraldereservas@santuariodocaraca.com.br

Mais informações:http://www.santuariodocaraca.com.br/

Sobre o autor

Related Posts

Leave a Reply

Your email address will not be published.

comentários