Retrospectiva relembra produções memoráveis da Fundação Clóvis Salgado em 2020

0
3563

A revisitação ao trabalho realizado no ano passado acontece até meados de fevereiro e celebra a reinvenção dos Corpos Artísticos, da FCS, em meio à pandemia

2020 foi um ano atípico que impôs muitos desafios aos três Corpos Artísticos da Fundação Clóvis Salgado – Orquestra Sinfônica de Minas Gerais (OSMG), Coral Lírico de Minas Gerais (CLMG) e Cia. de Dança Palácio das Artes (CDPA). De uma hora para outra, os artistas tiveram que sair do palco e da sala presencial de ensaio, para trabalharem isolados, com cada profissional em sua casa, e tendo que lidarem com todo o processo de uma gravação audiovisual: definir um bom cenário, pensar numa fotografia interessante, operar a câmera, captar um áudio de qualidade e imaginar como as cenas gravadas iriam compor uma obra audiovisual individual ou coletiva.

Por outro lado, o cenário de distanciamento social ampliou a atuação artística da OSMG, do CLMG e da CDPA, gerando outras linguagens artísticas e agregando novas possibilidades de criação e de comunicação com o público, ainda mais um período em que as pessoas precisavam se entreter em casa. Ao todo, no ano passado, foram produzidos 160 vídeos inéditos, entre solos e coletivos.

Com o intuito de revisitar esses melhores momentos dos Corpos Artísticos em 2020, a Fundação Clóvis Salgado apresenta uma retrospectiva com as 17 produções mais marcantes realizadas no ano passado por meio do projeto Palácio em Sua Companhia. A retrospectiva tem início no dia 08 de janeiro e termina no dia 14 de fevereiro, e poderá ser acompanhada pelo Instagram e Facebook da FCS por meio de três postagens semanais que acontecerão aos domingos, quartas-feiras e sextas-feiras. Aos domingos e sextas-feiras, os vídeos serão postados no mesmo horário, sempre às 10h da manhã. Já nas quartas-feiras, os vídeos serão postados sempre às 19h da noite.

A primeira apresentação a ser relembrada é “Querelas do Brasil”, performada pelo Coral Lírico de Minas Gerais em homenagem ao compositor Aldir Blanc, falecido em maio do ano passado, vítima da Covid-19.

Será exibida também a Trilogia do Afeto, série criada pela Cia. de Dança Palácio das Artes, retrata três fases distintas do distanciamento social vividas no início da pandemia, por meio de três vídeos: “Abraço”, “A Saudade” e “Presente”.

Outro destaque são os vídeos da série Sinfônica Pop. Parceria entre a Orquestra Sinfônica de Minas Gerais e o Coral Lírico de Minas Gerais, a série apresentou ao público uma nova versão do clássico “Vai Passar”, parceria de Francis Hime e Chico Buarque. A interpretação contou com a participação especialíssima de Francis Hime nos vocais e piano. E a regência ficou a cargo de Roberto Tibiriçá, maestro convidado. Outra apresentação inédita da série foi realizada com o cantor e instrumentista Maurício Tizumba, que, junto com a OSMG e o CLMG, interpretaram a música “A Criação”, para celebrar o aniversário de 300 anos de Minas Gerais.

A retrospectiva 2020 dos Corpos Artísticos é realizada pelo GOVERNO DE MINAS GERAIS / SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA E TURISMO DE MINAS GERAIS e FUNDAÇÃO CLÓVIS SALGADO e tem a APPA – ARTE E CULTURA como correalizadora. Conta ainda com o patrocínio Master da CEMIG e INSTITUTO UNIMED-BH (viabilizado pelo incentivo de mais de 5,1 mil médicos cooperados e colaboradores), USIMINAS e INSTITUTO USIMINAS como patrocinadores.

Confira abaixo a lista com todos os momentos que serão relembrados e suas respectivas datas:

08 de janeiro: Querelas do Brasil – Coral Lírico de Minas Gerais

10 de janeiro: Abraço – Cia. de Dança Palácio das Artes

13 de janeiro: Sinfônica Pop Maurício Tizumba – Coral Lírico de Minas Gerais e Orquestra Sinfônica de Minas Gerais

15 de janeiro: Muié Rendêra – Coral Lírico de Minas Gerais

17 de janeiro: Presente – Cia. de Dança Palácio das Artes

20 de janeiro: Sinfônica Pop – Francis Hime – Coral Lírico de Minas Gerais e Orquestra Sinfônica de Minas Gerais

22 de janeiro: Pachelbel em Evidência – Orquestra Sinfônica de Minas Gerais

24 de janeiro: Saudade – Cia. de Dança Palácio das Artes

27 de janeiro: Três Homens em Conflito – Coral Lírico de Minas Gerais e Orquestra Sinfônica de Minas Gerais

29 de janeiro: Primavera – Orquestra Sinfônica de Minas Gerais

31 de janeiro: Um chamado de corpo – Cia. de Dança Palácio das Artes

03 de fevereiro: Ave Maria – Orquestra Sinfônica de Minas Gerais

05 de fevereiro: Eine Kleine Nachtmusik – Orquestra Sinfônica de Minas Gerais

07 de fevereiro: A dança é um corpo que a gente veste – Cia. de Dança Palácio das Artes

10 de fevereiro: Hallelujah, Amém – Orquestra Sinfônica de Minas Gerais

12 de fevereiro: Rainha da noite – Orquestra Sinfônica de Minas Gerais

14 de fevereiro: A todas as infâncias – Cia. de Dança Palácio das Artes

#PALÁCIOEMSUACOMPANHIA – A diversidade cultural do Palácio das Artes encanta o público mineiro há décadas. No período de distanciamento social, o propósito é continuar a oferecer toda essa produção artística para o público, mas em casa. Com esse objetivo, foi lançado no dia 3 de abril o projeto PALÁCIO EM SUA COMPANHIA, que disponibiliza conteúdo cultural e produções inéditas da FCS em plataformas virtuais. São vídeos criados pelos integrantes dos Corpos Artísticos (Cia de Dança Palácio das Artes, Coral Lírico de Minas Gerais e Orquestra Sinfônica de Minas Gerais), coletivos e individuais, veiculados nas redes sociais da FCS (Facebook, Instagram e Youtube) e na Rede Minas. São criações artísticas, pesquisas e bastidores. É oferecida também uma ampla programação com curadoria do Cine Humberto Mauro, composta por mostras de cinema e sessões comentadas. Nas artes visuais, foi criado um potente programa de difusão, reflexão e resgate de exposições realizadas no Palácio das Artes. No Canal da FCS – Palácio das Artes no YouTube, são exibidos também registros de espetáculos e produções da FCS ao longo de sua história – óperas, concertos eruditos, populares e de espetáculos de dança. O EDUCATIVO FCS, acessado pelo site da FCS, reúne programação e conteúdos sobre as artes visuais, com reflexões e atividades práticas. A formação artística também está sendo oferecida virtualmente, pelo Centro de Formação Artística e Tecnológica – Cefart da FCS, com cursos, aulas abertas e debates. Ao ofertar essa intensa produção, a FCS permite a mais pessoas o acesso a um conteúdo cultural de qualidade, além de assegurar o direito à fruição artística de forma ampla e gratuita.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui