Setembro vermelho acende alerta para cuidados com a saúde cardiovascular

Mês é voltado para campanhas de conscientização e prevenção de doenças cardíacas

 

Alguns fatores podem aumentar o risco de doenças cardiovasculares, por isso, é preciso  ficar em alerta. “As enfermidades mais comuns são infarto do miocárdio (ataque cardíaco) e derrame cerebral (acidente vascular cerebral). Alguns desses fatores não têm como mudar: idade, sexo, história de doença cardíaca na família. Porém, existem outros que você pode mudar: fumo, alimentação inadequada, obesidade, falta de exercícios físicos, colesterol alterado, diabetes, pressão alta e estresse”, evidencia o angiologista Guilherme Jonas.

O tabagismo é um dos principais inimigos da saúde cardiovascular. Os fumantes podem apresentar um risco duas a três vezes maior de serem acometidos por um AVC, assim como de sofrerem de doença isquêmica do coração e doença vascular periférica. Além disso, é importante que as doenças cardiovasculares sejam devidamente tratadas pois, além de provocarem sintomas desconfortáveis, como falta de ar, dor no peito ou inchaço no corpo, também são a principal causa de morte no mundo”, alerta.

A alimentação saudável, assim como a prática de atividade física, é essencial  para prevenir e até mesmo auxiliar no tratamento dessas doenças. “A gordura trans é conhecida por ser inimiga da nossa saúde, já que pode promover o entupimento das artérias, o que consequentemente gera graves problemas de saúde. Os alimentos mais indicados são alho, os ricos em ômega 3, gengibre e abacate, além de antioxidantes, eles apresentam ação anticoagulante”, revela o angiologista.

Saúde cardiovascular X Covid-19

Não são apenas os sintomas respiratórios que estão associados à covid-19. Estudos comprovaram que a doença possui impacto vascular no organismo por causar lesão endotelial, a camada interna do vaso. Essa lesão pode comprometer a circulação, causar tromboembolismo arterial e venoso, alteração da microcirculação e circulatórias que podem ocorrer tanto na fase da doença quanto no período de até três meses pós-covid”, conta.

 A principal complicação da trombose venosa é a embolia pulmonar, que ocorre quando um coágulo ou parte dele se desloca de uma veia até as artérias pulmonares, o que pode ocorrer nos casos de covid-19. “É preciso ficar atento em relação aos sintomas, entre eles, dor no trajeto de alguma veia ou dor difusa na perna ou na coxa. Além de desconforto, que ocorre principalmente nas panturrilhas, podendo chegar até o pé e o tornozelo”, enumera Guilherme.

Portanto, o acompanhamento médico é mais do que necessário, principalmente, daqueles que se curaram do Coronavírus. “Realizar exames, passar por análise médica e ficar atento a qualquer sintoma diferente”, finaliza.

Fonte: Guilherme Jonas, médico angiologista e cirurgião vascular. É diretor clínico e fundador da clínica AngioMais com unidades no bairro Eldorado, em Contagem e no bairro Castelo, em Belo Horizonte (@drguilhermejonas). 

Artigo anteriorOperação da PF investiga fraudes no Ministério da Saúde
Próximo artigoProdutos educativos ajudam no desenvolvimento infantil
■ Jornalismo: Jornalista Editor e um dos fundadores do jornal [ Brasil Agora (B.A) ] - [BH/MG/Brasília-DF] - Ano: 2015 ■ Filiado: FENAJ/Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Minas Gerais (SJPMG) & FIJ ■ Diretor em Minas Gerais da Associação de Imprensa Nacional (AIN). _____________________________________________________________________ ■ Publicidade & Divulgação de Notícias MKT: Publicitário e Diretor [ Agência Grupo Conteúdo (GC) - Administradora de Jornais / Sites ] _____________________________________________________________________ ■ Advocacia: Advogado Gestor [ FJB Advocacia - Assistência Jurídica & Empresarial / Digital ] - "Membro da Associação dos Advogados Empreendedores - (AAE/OAB)" - Sindicato dos Advogados de MG. _____________________________________________________________________ ■ Canal 'Crítica Musical' com Felipe de Jesus (YouTube): https://www.youtube.com/channel/UCIWDiTUL9F-xlKwov43B5nQ _____________________________________________________________________ ■ Formação Acadêmica: Apaixonado pela área acadêmica, Felipe de Jesus é Jornalista (FESBH), Publicitário (IPSP), Teólogo (F.ESABI), Sociólogo (F.Polis das Artes), Economista (UNIP) & Advogado (FACSAL). Tem Mestrado em Comunicação Social: Jornalismo e Ciências da Informação (UEMC) e atualmente cursa Engenharia de Telecomunicações & TV (F.Nossa Senhora Aparecida / EAD). _____________________________________________________________________ Com larga experiência em coberturas da área de Cultura (Jornal & Assessoria de Imprensa): Shows, lançamentos de álbuns, livros e exposições de arte, trabalhou durante anos, também, fazendo coberturas e matérias na área de Economia (ao qual acabou se graduando posteriormente). Atualmente, além de editorar alguns portais de notícia no país, ser redator e administrador, escreve duas colunas semanais. Com a "Crítica Musical" (coluna que está no CulturalizaBH - Portal Uai ao qual é editor e financeiro) e a coluna "Opinião & Comportamento", que durante anos ficou no portal da RedeTV e hoje está no portal "Rondônia Digital". Desta coluna, surgiu o E-book: "Sociedade Conectada: A Influência da Internet no Cotidiano" - Ed. Escrita Certa (2019). "A escrita é a minha maior paixão" (Felipe de Jesus). ________________________________________________________________________ [ Siga o Instagram: @felipe_jesusjornalista ]