Mostra Movimento Armorial 50 Anos abre novo ciclo de atrações com encontros musicais e conversas

06/12/2010. Aula Espetáculo de Ariano Suassuna. Última apresentação do ano.Foto:Daniela nader/Divulgação.

De 12 de Janeiro a 25 de Fevereiro de 2022

A Mostra Movimento Armorial 50 Anos – que acontece no Centro Cultural Banco do Brasil Belo Horizonte – abre um novo ciclo de atrações, de 12 de janeiro a 25 de fevereiro – com Encontros Musicais e Conversas sobre a Arte Armorial. Uma oportunidade imperdível para quem quiser conferir de perto as várias faces do Movimento e o universo mágico do mestre Ariano Suassuna na música, dança, literatura, teatro e artes visuais com entrada gratuita.

Encontros musicais

Os encontros musicais – marcados para acontecer sempre das 20h às 22h, no Teatro I do CCBB – já começam em grande estilo nesta quarta-feira, dia 12 de janeiro. Quem abre a programação é o duo Ana de Oliveira (violino) e Sérgio Raz (violão), representando o Rio de Janeiro. A dupla traz para o público o Concerto 50 Anos do Movimento Armorial.

No dia 19 de janeiro, a atração vem do Paraná. Trata-se do Grupo Rosa Armorial, que produz espetáculos e composições inspiradas no Movimento Armorial.  E no dia 20 de janeiro, Antonio Nóbrega chega com toda sua graça, versatilidade e talento. O multiartista vai apresentar aos mineiros e aos visitantes um vibrante e emotivo Recital para Ariano Suassuna.

Da Paraíba, chegam nos dias 23 e 25 de fevereiro, respectivamente, o premiadíssimo Quinteto da Paraíba e o Trio Lancinante, que fecha o ciclo dos Encontros Musicais com participação especial da cantora Letícia Torança. O espetáculo intitulado Amanhecência, que faz sua estreia em Belo Horizonte, é o primeiro em estilo poético instrumental do Trio.

Conversas

A série Conversas sobre a Arte Armorial – das 19h às 21h, no Teatro I do CCBB – será aberta no próximo 14 de janeiro. A programação, neste dia, fica por conta de um tema muito representativo: O Romanceiro Popular Nordestino e a Literatura Armorial. Os palestrantes são Alexei Bueno e André Seffrin. Dois nomes consagrados no panorama da atual crítica literária brasileira.

No dia 15 de janeiro, a programação conta com a participação de dois convidados especiais. O artista plástico Manuel Dantas Suassuna, filho de Ariano e consultor geral da Mostra, além de Ricardo Gouveia de Melo, designer gráfico que assina a identidade visual da exposição Armorial 50, coautor da tipologia armorial e responsável pelas capas e projetos gráficos das mais recentes edições de Ariano Suassuna. Dantas e Ricardo exploram o tema Artes Visuais no Universo Armorial.

A conversa sobre a Dramaturgia Armorial ganha espaço no dia 16 de janeiro. Terá como convidados a atriz e diretora teatral, Inez Viana, e Bráulio Tavares (escritor, dramaturgo, compositor e poeta).

Sobre a Música Armorial, o público poderá desfrutar, mais uma vez, no dia 21 de janeiro, de toda graciosidade, talento e saberes do multiartista Antonio Nóbrega e da intérprete Isaar França – que teve participação em várias Aulas-Espetáculo ministradas por Ariano Suassuna.

Encerrando a série de Conversas, dia 22 de janeiro, o tema é a Dança Armorial. E nada melhor do que um descontraído encontro com a bailarina Maria Paula Costa Rêgo e o brincante e bailarino popular Pedro Salustiano.

Curadoria

Para a nova etapa da Mostra Movimento Armorial 50 Anos, a produtora Regina Rosa de Godoy convidou dois grandes conhecedores do Movimento. Para as palestras, a curadoria e mediação é o do professor, escritor e especialista na obra de Ariano, Carlos Newton Júnior, que também integra o time de criação da exposição. Na música, quem vai dar as coordenadas é o maestro, violonista e compositor Antônio José Madureira que, no surgimento do Movimento, conduziu o Quinteto Armorial, posteriormente o Quarteto Romançal e segue, até hoje, perpetuando a proposta lançada por Ariano Suassuna, de criar a música Armorial.

A entrada é gratuita tanto para os shows quanto para as conversas. Os ingressos podem ser retirados em bb.com.br/cultura.

Confira mais informações sobre os curadores e os seus convidados: 

Espetáculos de Música Armorial – Teatro I

Curadoria – Antônio Madureira

Madureira foi o marco para o que Ariano determinaria como estética da música armorial. Foi escolhido por ele para ser o líder do Quinteto Armorial. Um pesquisador nato das mais profundas raízes da música popular do nordeste. “Porque, na minha opinião, a música de Antônio Madureira tem, para o Brasil, a mesma importância que a gravura de Gilvan Samico, o romance de Guimarães Rosa e a poesia de João Cabral de Melo Neto.” Ariano Suassuna .

12/01/2022 

Duo Ana de Oliveira e Sérgio Raz – Concerto 50 Anos do Movimento Armorial – das 20h às 22h

Ana de Oliveira – Violino, violino elétrico e rabeca. Estudiosa da música, com várias especializações, tem uma vasta e expressiva trajetória profissional. Apresentou se como solista com diversas orquestras no Brasil e na Europa e como camerista em importantes festivais, entre eles Montreux (Suíça), La Villette (França), Warschauer Herbst (Polônia), Donaueschingen (Alemanha), MIMO Festival Brasil e Portugal, Campos do Jordão, Festival Villa-Lobos. É spalla da Orquestra Sinfônica Nacional da Universidade Federal Fluminense.

Sérgio Raz – Violão de 6 cordas, violão de 8 cordas, viola de 12 cordas e guitarra elétrica. Sérgio Raz tem um rico trabalhoautoral que contempla desde Música Armorial, Jazz, Flamenco e Música Eletroacústica registrado em vasta discografia. Trabalhou durante 15 anos nas Aulas-Espetáculo de Ariano Suassuna. Também integrou o Quarteto Romançal, criado e liderado por António Madureira.

19/01/2022

Grupo Rosa Armorial – das 20h às 22h

Grupo paranaense que produz espetáculos e composições musicais inspiradas no Movimento Armorial, que busca valorizar as manifestações culturais populares o Grupo é formado por: Marcela Zanette nas flautas, Carla Zago no violino, Du Gomide na viola caipira, violão, rabeca e cítara, Bruna Buschle no contrabaixo, Gabriela Bruel na percussão e Denis Mariano na bateria e percussão(percuteria).

O grupo tem no seu repertório músicas de compositores consagrados do movimento como Antônio Madureira, Egildo Vieira, Antonio Nóbrega e César Guerra-Peixe, além de resgatar o conceito armorial na criação de arranjos refinados para músicas do folclore paranaense e de músicas de compositores de todas as regiões do país, reunindo o popular com o erudito, resultando numa sonoridade genuinamente brasileira.

20/01/2022

Antonio Nóbrega em Um Recital para Ariano – 20h às 22h

O multiartista Antonio Nóbrega – que integrou, na origem, o Quinteto Armorial – é apontado pelo curador Antônio Madureira como uma síntese da arte e da estética Armorial. Um Recital para Ariano é composto de romances, poemas, martelos agalopados e toques instrumentais marcados, sobretudo, pelo espírito do sertão. Região que tanto inspirou o mestre Ariano e o Movimento Armorial. Essa viagem musical será entremeada por falas, reflexões e histórias que marcam a convivência entre ambos e, sobretudo, refletem a visão de Nóbrega sobre o Cavaleiro da Alegre Figura Ariano Suassuna, como ele gosta de se referir ao mestre.

Direção artística: Antonio Nóbrega; Direção musical: Edmilson Capelupi;

Músicos:  Antonio Nóbrega: voz, violino, violão e bandolim, Edmilson Capelupi: violão de 7 cordas e cavaquinho; Cleber Almeida: pandeiro e percussão.

23/02/2022

Quinteto da Paraíba – das 20h às 22h

Com três décadas no Departamento de Música do CCTA/UFPB, é hoje um dos mais renomados grupos de música de câmara do Brasil. Trafegando com versatilidade entre a música de concerto e a música popular, o Quinteto da Paraíba tem 6 CDs gravados entre eles (Armorial & Piazzolla, Música Armorial, Capiba & Gonzagão, A Pedra do Reino, Nau Capitânia de Itamaracá e Ao Vivo em New York), além de realizar shows, concertos e turnês no Brasil e no exterior. O Quinteto da Paraíba surgiu com a proposta de divulgar a obra de compositores brasileiros, mas é no Nordeste do Brasil que encontra sua mais pura inspiração. Embaixador desta rica vertente musical, o grupo que é considerado o responsável pelo resgate do Movimento Armorial, conquistou méritos da crítica especializada nacional e internacional.

Formação:

Ronedilk Dantas – 1º violino; Anderson Carvalho – 2º violino; Ulisses Silva – viola

Nilson Galvão – violoncelo; Xisto Medeiros – contrabaixo

25/02/2022

Trio Lancinante, com participação especial de Letícia Torança – das 20h às 22h

Espetáculo Amanhecência – Integrado por Francisco Andrade (viola e violão), Ravi Shankar Viana (corne inglês e oboé) e Teresa Cristina (violoncelo). Em Belo Horizonte, eles contarão com a participação especial da cantora Leticia Torança, do Rio Grande do Sul, dona de uma bela voz e que traz na bagagem participação em uma série de espetáculos e festivais no país.

Conversas sobre Arte Armorial – Teatro I

Curadoria e Mediação – Carlos Newton Júnior

Professor da Universidade Federal de Pernambuco, escritor, poeta e pesquisador, dedica-se há mais de trinta anos à obra de Ariano Suassuna, de quem foi amigo pessoal. Publicou artigos, ensaios e livros, atuou como consultor em vários projetos relacionados à obra de Ariano Suassuna, a exemplo de exposições, filmes e documentários em vídeo, e foi palestrante em diversas universidades brasileiras.

14/01/2022

Literatura

Tema: O romanceiro popular nordestino e a literatura armorial – das 19h às 21h 

As formas poéticas dos cantadores. Os princípios da poética armorial na literatura. Poesia oral e poesia escrita. A Pedra do Reino e o seu tempo. As Iluminogravuras enquanto experiência de fusão da literatura com as artes plásticas.

Alexei Bueno – poeta, crítico literário, crítico de arte e ensaísta com extensa obra publicada.

André Seffrin – crítico literário, crítico de arte e ensaísta com extensa obra publicada.

15/01/2022

Artes Visuais

Tema: As artes visuais no universo armorial – das 19h às 21h 

A xilogravura popular nordestina e as características da pintura armorial. A escultura, a cerâmica e a tapeçaria armoriais. A xilogravura de Gilvan Samico. As artes visuais ligadas ao Movimento Armorial na contemporaneidade. A obra do artista plástico Manuel Dantas Suassuna. O design gráfico e a tipologia armoriais.

Manuel Dantas Suassuna — artista plástico/visual ligado ao Movimento Armorial, filho do escritor Ariano Suassuna.

Ricardo Gouveia de Melo — designer gráfico, coautor da tipologia armorial e responsável pelas capas e projetos gráficos das mais recentes edições de Ariano Suassuna, publicadas pela editora Nova Fronteira.

16/01/2022

Teatro

Tema: A dramaturgia armorial – das 19h às 21h 

Origens do teatro armorial. As tragédias e as comédias de Ariano Suassuna e sua influência para o estabelecimento de um “teatro do Nordeste”. As montagens da obra de Ariano Suassuna e os pressupostos da poética armorial: cenários, figurinos, música etc. O teatro armorial enquanto arte de síntese. Teatro armorial, cinema e televisão.

Inez Viana — Atriz e diretora teatral, com larga experiência no teatro, na televisão e no cinema, tendo dirigido recentemente duas montagens de peças de Ariano Suassuna.

Braulio Tavares — Escritor, dramaturgo, compositor e poeta, autor de artigos e livros sobre a cultura popular e a obra de Ariano Suassuna, tendo trabalhado em adaptações da obra de Suassuna para o cinema e a televisão.

21/01/2022

Música

Tema: Os romances nordestinos e a música armorial – das 19h às 21h 

Trajetória do Quinteto Armorial. A Orquestra Armorial e a Orquestra Romançal Brasileira. O canto na música armorial. A experiência do canto armorial nas Aulas-Espetáculo de Ariano Suassuna. Influências da música armorial na cena musical brasileira. Discografia armorial.

Antonio Nóbrega — Músico, multi-instrumentista, compositor, cantor, ator e bailarino, ex-integrante do Quinteto Armorial.

Isaar França — Intérprete, tendo participado de várias Aulas-Espetáculo ministradas por Ariano Suassuna.

22/01/2022

Dança

Tema: As experiências da dança armorial, do Balé Armorial ao Grupo Grial – das 19h às 21h 

Os espetáculos populares, a dança popular e a dança armorial. As experiências de dança nas Aulas-Espetáculo.

Maria Paula Costa Rêgo — Bailarina e coreógrafa, foi a fundadora, com Ariano Suassuna, do Grupo Grial, além de ter assinado a coreografia de vários números de dança apresentados nas Aulas-Espetáculo.

Pedro Salustiano — Brincante e bailarino popular, com participação em várias Aulas-Espetáculo ministradas por Ariano Suassuna.

SERVIÇO

Eventos Complementares

Mostra Movimento Armorial 50 Anos

Espetáculos de Música Armorial – Teatro I

Datas: 12, 19 e 20 de janeiro de 2022

23 e 25 de fevereiro de 2022

Horário: das 20h às 22h

Conversas Sobre Arte Armorial – Teatro I

Datas: 14, 15, 16 e 21 e 22 de janeiro de 2022

Horário: das 19h às 21h

Presencial

Entrada gratuita – Ingressos em bb.com.br/cultura

 

Funcionamento do CCBB BH

Quarta a segunda, das 10h às 22h (fechado às terças-feiras)

Mais informações: (31) 3431-9400

Endereço e contato:

Praça da Liberdade, 450 – Belo Horizonte – MG/Brasil

Email[email protected]

Bicicletário: Rua Sergipe com Avenida Brasil;

Balcão de informações: térreo – atendente bilíngue (português/inglês);

Terminais de Autoatendimento BB: térreo

Fraldário: Pátio

Livraria da Praça: térreo

Redes Sociais

Facebook: ccbb.bh

Twitter: ccbb_bh

Instagram: @ccbbbh

Site: bb.com.br/cultura

 

Circuito Liberdade

O Centro Cultural Banco do Brasil é integrante do Circuito Liberdade, complexo cultural sob gestão da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo (Secult) e que reúne diversos espaços com as mais variadas formas de manifestação de arte e cultura em transversalidade com o turismo. Trabalhando em rede, as atividades dos equipamentos parceiros ao Circuito buscam desenvolvimento humano, cultural, turístico, social e econômico, com foco na economia criativa como mecanismo de geração de emprego e renda, além da democratização e ampliação do acesso da população às atividades propostas. Acesse o site do CCBB em: bb.com.br/cultura.

Protocolo de funcionamento do CCBB durante a pandemia de Covid-19

Para acesso ao prédio do CCBB Belo Horizonte é indispensável a emissão de ingresso online. Antes de agendar sua visita, leia com atenção as informações disponíveis em bb.com.br/cultura, que fazem parte do novo protocolo de funcionamento do CCBB Belo Horizonte, conforme Decreto Municipal 17.361 de 22 de maio de 2020.

–  Horário de funcionamento: de quarta a segunda, das 10h às 22h.

–  Bilheteria: não há bilheteria física, os ingressos devem ser emitidos pelo site bb.com.br/cultura com apresentação do QR Code na entrada do CCBB.

–  Acesso ao prédio: será permitido apenas com agendamento pelo site bb.com.br/cultura. Lembramos que o número de pessoas que podem agendar visitação em cada horário é limitado e que não será possível reagendar novamente a visita.

–  O ingresso é válido para o dia e horário agendados.

–  Guarda-volumes: está suspenso. Use somente o indispensável para sua visita.

–  Não é permitida a entrada nas salas de exposição portando mochilas ou malas.

–  Bebedouros: os bebedouros foram adaptados e a utilização é somente para coleta de água com recipientes individuais.

–  Máscara: uso obrigatório, cobrindo o nariz e a boca, durante a permanência no CCBB.

–  Aferição de temperatura: a temperatura dos visitantes será aferida na entrada no CCBB. Pessoas com temperatura igual ou superior a 37,5o serão orientadas a buscar atendimento médico especializado.

–  Visitação: a visitação tem fluxo unidirecional. Oriente-se pela sinalização e uma vez iniciada a visita não retorne ao ponto inicial.

–  Oriente-se pela sinalização e mantenha a distância de 1 metros.

–  Elevadores: pessoas com deficiência, mobilidade reduzida ou que precisem de acompanhamento possuem atendimento priorizado. Recomendamos o uso das escadas aos demais usuários.

–  Banheiros: limitação da capacidade além da instalação de dispensadores de álcool gel.

– Entrada e saída acessível: pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida e outras pessoas que necessitem da rampa de acesso podem entrar e sair pela rua Claudio Manoel.

 

Artigo anteriorCircuito de infláveis “Extreme Fun” segue na esplanada do Mineirão
Próximo artigoRio inicia distribuição de doses de vacina infantil contra a covid-19
■ Jornalismo: Jornalista há mais de 15 anos, Editor e um dos fundadores do jornal [ Brasil Agora (B.A) ] - [BH/MG/Brasília-DF] - Ano: 2015 ■ Membro e filiado com Registro Profissional na Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ | SJPMG) - Federação Internacional dos Jornalistas (FIJ). Associado na União Brasileira de Imprensa (UBI) ■ Diretor e Associado na 'Associação de Imprensa Nacional (AIN)' e apoio no setor Jurídico. _____________________________________________________________________ ■ Publicidade & Divulgação de Notícias MKT: Publicitário - R.P: 3040 (DRT) - [ Agência Grupo Conteúdo (GC) - Administradora de Jornais / Sites ] e Setorial Comunicação Empresarial (SC). _____________________________________________________________________ ■ Advocacia - Adv. apoio na gestão - [ FJB Advocacia - Assistência Jurídica & Empresarial / Digital ] - "Associação dos Advogados Empreendedores - (AAE/OAB)" | Associação Brasileira de Advogados e Bacharéis em Direito (ABRABDIR). _____________________________________________________________________ ■ Fotografia: Repórter Fotográfico - R.P: 20.400 (DRT) _____________________________________________________________________ ■ Canal 'Crítica Musical' com Felipe de Jesus (YouTube): https://www.youtube.com/channel/UCIWDiTUL9F-xlKwov43B5nQ _______________________________________________________________________ ■ Formação Acadêmica (Graduações): Apaixonado pela área acadêmica, Felipe de Jesus é Jornalista (Faculdade Estácio de Sá - Centro Universitário - BH/MG), Publicitário (Instituto Politécnico-SP), Teólogo (Faculdade ESABI), Sociólogo (Faculdade Polis das Artes), Economista (USIP) e Advogado (FACSAL/UNIESP-S.A). É Mestre em Comunicação Social: Jornalismo e Ciências da Informação (UEMC) e atualmente cursa Eng. de Telecom. (Faculdade Nossa Senhora Aparecida) e Bacharelado em Ciências Musicais (Música) pela FACOR/MG. _____________________________________________________________________ Com larga experiência em coberturas da área de Cultura (Jornal & Assessoria de Imprensa): Shows, lançamentos de álbuns, livros e exposições de arte, trabalhou durante anos, também, fazendo coberturas e matérias na área de Economia (ao qual acabou se graduando posteriormente). Atualmente, além de editorar alguns portais de notícia no país, ser redator e administrador, escreve duas colunas semanais. Com a "Crítica Musical" (coluna que está no CulturalizaBH - Portal Uai ao qual é editor e financeiro) e a coluna "Opinião & Comportamento", que durante anos ficou no portal da RedeTV e hoje está no portal "Rondônia Digital". Desta coluna, surgiu o E-book: "Sociedade Conectada: A Influência da Internet no Cotidiano" - Ed. Escrita Certa (2019). "A escrita é a minha maior paixão" (Felipe de Jesus). ________________________________________________________________________ ■ [ Siga o Instagram: @felipe_jesusjornalista ]