Museu do Caraça é reaberto para o público

0
1166

Museu – PBCM/Divulgação.

Visitante pode fazer uma imersão na história com passeios guiados e conhecer alguns dos objetos que ficaram intactos após o incêndio de 1968

O Santuário do Caraça (Estrada do Caraça, Km 9 – entre os municípios de Catas Altas e Santa Bárbara) é um dos destinos turísticos mais procurados do país. No entanto, muito além de toda a sua riqueza natural e a vasta gastronomia, o lugar traz consigo histórias marcantes, como exemplo, a do Museu com objetos do Colégio do Caraça. A instituição de ensino, que foi caracterizado por sua seriedade e qualidade nos métodos educacionais, teve alunos ilustres, como, dois presidentes da República, Afonso Pena (1906 a 1909) e Artur Bernardes (1922 a 1926), além de governadores, senadores, deputados e autoridades eclesiásticas.

Mas, não somente de glórias e muitas alegrias viveu o Colégio do Caraça, já que na madrugada do dia 28 de maio do ano de 1968, um pequeno fogareiro elétrico, esquecido ligado, inflamou e deu início ao incêndio que marcaria o último dia do tradicional Colégio. Após contido o enorme incêndio que ficou marcado na mídia brasileira, das ruínas se ergueu o Museu do Colégio do Caraça, que ainda guarda consigo, lembranças de como era tudo ali. Para a alegria dos visitantes que estavam impedidos de ir ao local por causa da Covid-19, o museu reabre as portas com direito a visita guiada para conhecer toda a história e objetos do local, com taxa de R$5 por pessoa.

De acordo com Márcio Mol, gerente geral do Caraça, essa é uma oportunidade para que os visitantes que tanto queriam conhecer o local, possam aprender mais sobre a história, já que tantos objetos da época do colégio, ainda estão lá. “Vários artefatos utilizados na época por estudantes ficam em exposição.  A Grade curricular mostra um pouco da rotina dos estudantes, além disso, temos equipamentos máquinas de escrever que eram utilizadas pelos padres, várias máquinas de costura e de sapataria para produção própria de uniformes e sapatos para todos e claro, alguns móveis, como escrivaninhas e estantes que resistiram ao incêndio do ano de 1968”, comentou.

Segundo Márcio Mol, além dos objetos, como camas e estantes, o museu ainda tem bem preservado, itens, como vinis antigos, que vinham com aulas de idiomas diversos, tais como inglês, francês e latim. Com a visita guiada, ele afirma que o visitante vai viajar no tempo. “Em uma parte do Museu, temos vários aparelhos de rádios e radiolas que foram utilizadas, como parte dos trabalhos educacionais com os alunos que passaram pelo local. Muitos vinis, alguns com rotação 78, que eram mais grossos e pesados, com gravações de aulas e alguns com hinos da época. Um ponto bem interessante para quem gosta de vinis, já que muitos que estão preservados no local, eram coloridos, sendo alguns azuis e vermelhos. Tenho certeza de que todos que vierem ficarão empolgados com as histórias contadas pelos monitores”, completa.

Com a reabertura do Museu do Colégio do Caraça, o gerente adiciona que será uma chance de atrair o olhar de quem ainda não teve a chance de ir ao Caraça. “Temos a certeza que agora, com a visita guiada, as pessoas se sentirão mais confortáveis em não apenas visitar, mas em levar consigo uma bagagem enorme e cultural do que foi o colégio, os objetos que ali estão e sua importância para a história do país. Além disso, é a chance de descansar a mente da correria da cidade grande”, conclui.

 

Serviço

Santuário do Caraça

Local: Estrada do Caraça, Km 9 – Entre os municípios de Barão de Cocais, Catas Altas e Santa Bárbara – CEP 35960-000

Fácil acesso pelas rodovias BR 381 e MG 436, além do cômodo acesso por trem

(Estação Dois Irmãos – Barão de Cocais)

Taxa para visitação ao Museu: R$5

Taxa de entrada no Santuário do Caraça: a partir de R$ 14,00 (em dias de semana)

 Site com opções de hospedagens: https://www.santuariodocaraca.com.br

Facebook: https://www.facebook.com/complexosantuariocaraca/

Reservas: [email protected]santuariodocaraca.com.br

Artigo anteriorVai ter Samba com Dilsinho neste sábado no Mix Garden
Próximo artigoPlataforma colaborativa convida famílias de todo o país a compartilharem dicas sobre o universo infantil
Editor e fundador do Jornal Brasil Agora [BH/MG/Brasília-DF] - Ano: 2015 __________________________________________________________________________ Diretor do 'Grupo Conteúdo' - Agência de Notícias | Publicidade & Marketing Digital. Siga o Instagram e leia outras matérias e artigos no perfil:@felipe_jesusjornalista. __________________________________________________________________________ Diretor Responsável do "F&J - Escritório de Assistência & Prevenção Jurídica". __________________________________________________________________________ Formado em Jornalismo pela (Faculdade - FESBH), Publicidade & Propaganda (Instituto Politécnico de São Paulo), Relações Públicas (Universidade UIB/EUA), Teólogo (Faculdade ESABI/BH-MG), Sociologia (Faculdade Polis das Artes/SP), Economia (Universidade UNIP/SP), Bacharel em Direito (Universidade - UNIESP/FACSAL-BH/MG) e Ms. em Comunicação Social: Jornalismo e Ciências da Informação (Univ. UEMC/Espanha). Com larga experiência em coberturas da área de Cultura (Jornal & Assessoria de Imprensa): Shows, lançamentos de álbuns, livros e exposições de arte, trabalhou durante anos, também, fazendo coberturas e matérias na área de Economia (ao qual acabou se graduando posteriormente). Atualmente, além de editorar alguns portais de notícia no país, ser redator e administrador, escreve duas colunas semanais. Com a "Crítica Musical" (coluna que está no CulturalizaBH - Portal Uai ao qual é editor e financeiro) e a coluna "Opinião & Comportamento", que durante anos ficou no portal da RedeTV e hoje está no portal "Rondônia Digital". Desta coluna, surgiu o E-book: "Sociedade Conectada: A Influência da Internet no Cotidiano" - Ed. Escrita Certa (2019). "A escrita é a minha maior paixão" (Felipe de Jesus). ____________________________________________________________________________ [ Siga o Instagram: @felipe_jesusjornalista ]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui