Academia Orquestra Ouro Preto abre inscrições para a seleção 2020

0
492

São 10 vagas para jovens entre 18 e 28 anos, interessados podem se inscrever até 17 de fevereiro e as audições serão realizadas nos dias 27 e 28 deste mês

A Orquestra Ouro Preto está com inscrições abertas para o preenchimento de 10 vagas para a Academia Orquestra Ouro Preto. Serão selecionados jovens de 18 a 28 anos, completados até 1º de março deste ano. Os interessados devem se inscrever até o dia 17 de fevereiro, segunda-feira, enviando para o e-mail [email protected] a ficha de inscrição disponível no site da Orquestra, cópia da carteira de identidade e ficha de recomendação do professor.
São seis vagas para violino, duas vagas para viola, uma vaga para violoncelo e uma vaga para contrabaixo. Durante as audições, os candidatos deverão executar duas peças ou movimentos contrastantes de livre escolha dentro da literatura do instrumento. O local da audição será informado por e-mail para os músicos com a confirmação da inscrição.

A Academia Orquestra Ouro Preto é patrocinada pela SulAmérica e tem o apoio do Sesc. Os ensaios são realizados semanalmente, às sextas-feiras, no Sesc Palladium. Os participantes da Academia recebem uma bolsa mensal no valor de R﹩ 700,00, além de material didático cedido gratuitamente.

A Academia Orquestra Ouro Preto

Inspirada pela vocação musical do Estado e ciente das dificuldades de músicos e musicistas em seguir a carreira profissional no campo da música de concerto, a Orquestra Ouro Preto inaugurou, em março de 2019, a Academia Orquestra Ouro Preto. O projeto, que já nasceu como referência em Minas Gerais, é formado por instrumentistas entre 18 e 28 anos de idade que têm em comum a paixão pela música, enxergando nela um futuro promissor e porta de entrada para a transformação de realidades sociais por meio da cultura.

A ideia da Academia é aperfeiçoar e lapidar o talento de jovens violinistas, violistas, violoncelistas e contrabaixistas já iniciados, mas que encontram uma série de obstáculos para dar prosseguimento ao sonho de se tornarem profissionais, sobretudo, devido ao alto custo dos investimentos, o que acaba por afastar um grande número de pessoas com potencial e vivência necessária para inserirem no mercado da música.

Rodrigo Toffolo, diretor artístico, regente titular da Orquestra Ouro Preto e idealizador da Academia, aponta que a iniciativa foi construída sob o signo da inclusão, enfatizando os valores artísticos da Orquestra e sua forma de fazer música, que a elevaram ao status de uma das mais importantes e premiadas formações orquestrais do país. “A Academia é materialização de um sonho antigo e mais um passo importante na história da Orquestra Ouro Preto. Queremos mostrar para esses jovens a música como modo de vida possível, e dar oportunidade de inserção no mercado, através de um trabalho prático e, sobretudo, humano. Uma maneira diferenciada de fazer música, algo que o público poderá apreciar nos concertos”, comenta Toffolo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui