Como a inteligência emocional ajuda a trilhar novos caminhos e a conquistar resultados efetivos na vida profissional

0
1211
Imagem: FIA.

Pensamentos e atitudes negativas e limitantes podem atrapalhar sua vida profissional e pessoal muito mais do que possa parecer óbvio. O que não é tão óbvio assim é que, muitas vezes, esse comportamento pode estar ligado a ações do passado e até mesmo a heranças emocionais que você recebe da sua família ou até de relacionamentos – independente de que tipo – que não terminaram de forma bem resolvida.

E é exatamente para resolver essas questões pendentes que foi criada a Mentoria de Desenvolvimento da Inteligência Emocional, ministrada pela psicóloga Fabrícia Gomes.

Como funciona 

Ao todo, são 13 sessões de mentoria que ajudam a identificar as emoções, descobrir as raízes das atitudes, crenças e comportamentos que limitam decisões e ações; interromper padrões comportamentais negativos que atrapalham presente e futuro, além de criar e fortalecer comportamentos positivos, com foco em uma mudança efetiva de resultados.

“O objetivo é chegar na raiz dos problemas emocionais. Fazer com que a pessoa assuma a responsabilidade pelas interpretações do passado e avalie os impactos deles no seu dia a dia”, explica Fabrícia.

Ao longo das sessões, vão sendo identificados traumas e interpretações distorcidas, criando novos significados e crenças fortalecedoras. “Trabalhamos a história de vida para descobrir a raiz dos pensamentos limitantes e, a partir daí, usamos ferramentas para que a pessoa possa ressignificar, achar um novo valor para cada coisa”, completa.

Ainda segundo a psicóloga, ao longo da vida, temos a tendência de repetir padrões negativos que são passados de geração em geração, criando crenças a partir do que vivenciamos na infância e/ou adolescência, e esses pensamentos travam a nossa vida pessoal ou profissional, porque geram insegurança, medo de decidir e de agir.

“Nesse sentido, o processo de inteligência emocional ajuda a trabalhar essas questões e é um baseado em ferramentas e em um plano de ação. Não é uma mudança milagrosa que acontece rápido, mas é uma mudança possível e verdadeira”, finaliza.

Sobre Fabrícia Gomes

Fabrícia é psicóloga formada pela PUC-MG, Pós-Graduada em Gestão de Pessoas e Negócios pela FDC e Mentora em Inteligência Emocional com formação pela Sociedade Brasileira de Inteligência Emocional. Coach de Carreira e Liderança e formação em Mentoria Estratégica. Experiência de 17 anos na área de RH atuando em grandes empresas com foco na área de Desenvolvimento de Pessoas.

Saiba mais: https://lp.fabriciadesenvolvimento.com.br/mentoria-fabricia-gomes

5 DICAS PARA DESENVOLVER SUA INTELIGÊNCIA EMOCIONAL

Ter inteligência emocional não é apenas ter autocontrole. É também conhecer suas emoções para não deixar que elas estejam no controle, perceber as emoções dos outros e ter empatia para conseguir melhores relacionamentos e resultados. Isso significa que desenvolver sua inteligência emocional é essencial se você já é ou pretende se tornar um líder. Para isso, algumas características são essenciais. As dicas são da psicóloga e mentora em Inteligência Emocional, Fabrícia Gomes.

1. Autoconhecimento
Você só controla aquilo que conhece!

O autoconhecimento faz parte do lifelong learning, ou seja, precisa ser trabalhado o resto da sua vida. Faça cursos, assista lives, leia livros, artigos, e peça feedbacks das pessoas com quem você se relaciona. Já parou para refletir que ninguém lidera sozinho? Você lidera para o outro.

Ao se conhecer, consegue entender os gatilhos que te fazem agir como age normalmente. Por que eu fiquei tão irritado com aquela pessoa aquele dia? Mas aí, a pessoa fala alguma coisa que aciona um “botão”, acontece alguma coisa no seu cérebro emocional e pronto!… Você explode e a pessoa fica sem entender nada…

Esses gatilhos podem ser externos ou internos. Os externos normalmente estão relacionados a alguma coisa que você esteja vivenciando nos últimos tempos. Já os internos são mais difíceis de serem acessados, porque moram lá no cérebro límbico (emocional) e geralmente estão relacionados a experiências negativas vivenciadas no passado.

2. Peça feedback para a equipe

Pergunte: “Em que tipo de situações você percebe que eu me altero? Quais comportamentos você percebe que eu tenho que prejudicam meus relacionamentos com as pessoas?”.

3. Se “afaste” um pouco do problema

Quando estiver com dificuldades de resolver um problema, vá fazer outras coisas e depois volte. Parece simples, mas isso muda seu estado emocional e faz com que consiga pensar em outras possibilidades. Uma boa saída também é conversar com alguém que não esteja emocionalmente envolvido e conseguirá te dar novas perspectivas.

4. Desenvolva a empatia

Observe a linguagem corporal das pessoas quando estiverem comunicando algo. Pergunte como estão se sentindo, dê espaço para elas falarem sobre suas emoções.

Aprimore seu estilo de comunicação! Muitas vezes o problema não está no que você fala, mas na maneira como você fala!. Saiba dar retornos construtivos, seu funcionário precisa sair de um feedback motivado a mudar e não destruído porque você exagerou nas palavras.

5. Desenvolva FOCO no positivo

Tudo aquilo que focamos, expande. Aprenda a ver o lado bom das situações e, quando você cometer um erro, reflita sobre o que aprendeu com ele e o que pode fazer diferente da próxima vez!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui