Brasileiros entre os maiores investidores estrangeiros em imóveis de luxo em Lisboa

0
449
Brasileiros entre os maiores investidores estrangeiros em imóveis de luxo em Lisboa - Foto: Divulgação
Brasileiros entre os maiores investidores estrangeiros em imóveis de luxo em Lisboa - Foto: Divulgação

De acordo com uma pesquisa alemã, 35% de todos os investimentos realizados na cidade de Lisboa provêm de investidores estrangeiros. Os franceses representam a maior parte deles, contando com 21% de todo o investimento estrangeiro, seguidos de perto pelos brasileiros e britânicos, ambos listados com 18%, e depois os alemães e os chineses que compõem as últimas porcentagens consideráveis com 9% e 7% respectivamente. 35% do investimento é um valor extremamente grande, especialmente em comparação com a capital da vizinha Madrid, onde o investimento estrangeiro em imóveis representou pouco mais de 10% de todas as compras de casas em 2019.

O estudo também detalhou as diferenças observadas nos investidores imobiliários em comparação com sua nacionalidade. Enquanto os clientes alemães e britânicos se interessavam mais pelas áreas históricas de Lisboa, os franceses estavam mais interessados em propriedades com vista para o rio Tejo que atravessa a capital. Os brasileiros, por outro lado, investiram principalmente na área de Santo António e bairro da Graça, alguns dos mais caros em áreas de Lisboa onde os preços podem facilmente chegar a € 7.000 por metro quadrado. Santo António é o lar de alguns dos marcos mais emblemáticos de Lisboa, como a Avenida da Liberdade e a Praça dos Restauradores. A área também é famosa por sua classe mundial, restaurantes com estrelas Michelin e lojas de luxo.

Brasileiros entre os maiores investidores estrangeiros em imóveis de luxo em Lisboa - Foto: Divulgação
Brasileiros entre os maiores investidores estrangeiros em imóveis de luxo em Lisboa – Foto: Divulgação

O investimento estrangeiro em Portugal, e em particular em Lisboa, tem vindo a aumentar de forma constante, após esforços significativos do governo português para aumentar o envolvimento estrangeiro na sequência do crash de 2008. O mais famoso deles é o Golden Visa Scheme, o qual foi lançado em 2012, e oferecia residência permanente que poderia ser eventualmente convertida em passaporte e cidadania portuguesa, em troca de um investimento em imóveis normalmente de € 500.000 ou mais. O esquema foi muito popular e parcialmente responsável pela recuperação do mercado imobiliário em Portugal, sendo o brasileiro um dos maiores grupos demográficos de investidores. As reformas do regime que entrarão em vigor em janeiro de 2022 verão Lisboa retirada das ares elegíveis, juntamente com o Porto, num esforço de espalhar parte do sucesso visto na capital para o interior do país, o qual tem visto um declínio populacional considerável nos últimos anos.

Apesar do caos socioeconômico trazido pela pandemia, muitas reformas e adaptações foram feitas no modo como o mercado imobiliário é pesquisado. Hoje em dia ficou muito mais fácil se informar, procurar imóveis para comprar e investir pelo mundo e fazer transações comerciais do sofá de casa! Tudo isso graças à uma quantidade imensa de plataformas digitais que te permitem visualizar todos os detalhes importantes do local, entrar em contato direto com agentes e até mesmo fazer uma visita virtual de 360º pelo imóvel desejado.

Propriedades vem sendo compradas mais recentemente por uma nova onda de nômades digitais, que aproveitaram a oportunidade do trabalho remoto permanente e optaram por morar em um lugar com céu ensolarado e uma boa comida. Lisboa, em particular, tem sido um local de tanta popularidade entre os nômades digitais que uma “cidade nômade digital” foi encomendada para ser construída fora da capital, com todas as instalações e amenidades que qualquer trabalhador remoto poderia sonhar.