Uso do protetor solar deve continuar mesmo em casa

0
446

Com a chegada do inverno e durante a quarentena, produto essencial para a saúde da pele pode ficar esquecido

Muita gente sabe que o protetor solar é o principal aliado para proteger a pele contra a exposição direta ao sol. Porém, o que poucos sabem é que esse cuidado também deve ser mantido durante o inverno e, principalmente, dentro de casa.

De acordo com o dermatologista Fábio Gontijo, a exposição aos raios solares não é o único risco para a saúde da pele. “Em casa também estamos expostos a diversos tipos de radiação que são liberadas através de aparelhos eletrônicos, como TVs, tela do computador e objetos do gênero. Além disso, luzes artificiais como leds e fluorescentes utilizadas na iluminação do ambiente também podem causar danos, caso a pele fique exposta por muito tempo”, explica.

Fábio acrescenta que tal radiação pode ser responsável pelo envelhecimento precoce, manchas, além de outros males para a derme. “Porém, não é necessário entrar em pânico. A radiação dentro de casa não é tão forte quanto os raios solares em contato direto com a pele. Mas em longo prazo podem surgir danos. Portanto, o ideal é manter os cuidados para que qualquer risco seja evitado ao longo dos anos”, comenta.

Ou seja, a melhor forma de continuar se cuidando, é investir na proteção mesmo em ambientes fechados. “Dentro de casa não é necessário utilizar um fator tão forte como nas ruas, durante o dia, com o sol forte. Mas o produto deve ser utilizado com frequência e da maneira correta, por toda a extensão da pele”, diz.

O dermatologista indica que a melhor opção é procurar um profissional para analisar o seu tipo de pele e indicar o produto mais adequado para cada ambiente. “Cada faixa etária, pele e organismo possuem necessidades específicas. Uma pele com acne, por exemplo, deve utilizar um produto diferente de quem sofre apenas com ressecamento excessivo, por exemplo. Então, lembre-se de sempre buscar o seu médico para manter a saúde e evitar que a pele seja prejudicada ainda mais”, conclui.

Fonte: Fábio Gontijo, Médico Dermatologista, formado pela UFMG em 2009, Dermatologista Membro Titular da Sociedade Brasileira de Dermatologista (SBD), Especialista em Oncodermatologia pelo Hospital Albert Einstein, com MBA em Gestão em Saúde pela FGV.

Contato: www.fabiogontijo.com.br ou @dr.fabio.gontijo no Instagram

Artigo anteriorTelemedicina pode reduzir em 80% atendimentos em hospitais
Próximo artigoBaianeiros na live Sextou com Carnaval, acontece nesta sexta, dia 3
[ Jornalista e Editor do Brasil Agora - em BH/MG] - Graduação: Jornalista (FESBH), Teólogo (F.ESABI), Sociólogo e Letras (F.Polis das Artes) e Economista (UNIP). Tem Mestrado em Comunicação Social: Jornalismo e Ciências da Informação (Universidade Europeia Miguel de Cervantes/UEMC), Doutorado Prof. em Ciências Sociais e Políticas (USIP) e atualmente cursa Direito (UNIESP-BH). Apaixonado por música, colabora no "CulturalizaBH/Portal UAI" e na "TV Balcão" com a coluna "Crítica Musical" falando sempre sobre álbuns, coberturas de shows e etc. Tem como hobbie comprar CDs e também vinis. É também apaixonado por Sociologia, tanto que de sua graduação em Ciências Sociais: Sociologia, se tornou colunista de Opinião & Comportamento do portal da "RedeTV!" e "Rondônia Digital" e desta coluna, nasceu o "E-book: Sociedade Conectada: a Influência da Internet no Cotidiano". Da Economia, área ao qual foi repórter e sub-editor, se tornou colunista no "Divulga Gerais" após sua graduação em Ciências Econômicas: Economia. É colaborador de Jornais/Portais de Notícias, Diretor do Grupo Conteúdo - Agência de Notícias - Sites e também editora e assina matérias em alguns jornais de Minas Gerais e do Brasil. A escrita é sua maior base e paixão no Jornalismo. [ Siga o Instagram: @felipe_jesusjornalista ]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui