Ser ao invés de ter

Modos de vidas distintos mudam os padrões de consumo atuais e a relação com o dinheiro.

Antes da pandemia do novo Coronavírus, pouco se falava ou cultivava a importância do bom relacionamento nos diferentes meios sociais. O trabalho virou prioridade e a ilusão de ter muitos bens materiais para atingir a felicidade se tornou comum.

A competição e a necessidade de exibir a pose de itens luxuosos era exorbitante, porém, em meio ao isolamento social devido a pandemia, essa realidade começou a ser questionada. As pessoas começaram a perceber a brevidade da vida ao perderem parentes e amigos de forma rápida para uma doença até então desconhecida. Logo, começaram a valorizar momentos ao invés de coisas.

Para o educador e consultor financeiro Silvio Azevedo, que lida diariamente com as finanças comportamentais e o comportamento do consumidor, a questão não é sobre deixar de ter coisas, mas sim, saber separar o que é necessidade do que é supérfluo. “Ter uma casa, um carro e um bom emprego para sustentar e cuidar da sua saúde são necessários, porém a vontade de ter mais do que se precisa, desgasta as relações e faz com que muitos percam momentos dinheiro não compra”.

Os próximos anos

Com o avanço da vacinação, aos poucos, o mundo volta ao antigo normal, comércios abertos e empregos presenciais. E então, será que as relações voltarão a ser as mesmas, desgastadas e descartáveis?

De acordo com o especialista, o aprendizado deixado pela pandemia não pode ser abandonado. “Precisamos continuar colocando em prática a importância do bom relacionamento, do respeito e das interações. Passamos por um momento delicado e aprendemos a importância desses atos de uma forma dolorosa, e acredito, que ter que passar por isso novamente para entender a valorizar os pequenos atos não é o que queremos. Por isso, vamos cultivar cada aprendizado para que as próximas gerações possam crescer em um local mais harmônico, tranquilo e feliz em meio aos pequenos gestos”, lembra.

E uma das melhores formas para alcançar esse objetivo é se organizando financeiramente. “Ter um bom planejamento financeiro é fundamental. Saber onde se quer chegar e traçar esse caminho com clareza e dentro da sua realidade ajudar a ter uma vida mais leve e próspera”, garante o educador.

Fonte: Silvio Azevedo – Consultor e Educador financeiro, professor e palestrante. (@silviocazevedo).

Artigo anteriorA um mês do Enem, professores falam sobre uso de redes sociais
Próximo artigoMês em que se comemora o Dia Mundial da Trombose acende alerta para cuidados
■ Jornalismo: Jornalista há mais de 15 anos, Editor e um dos fundadores do jornal [ Brasil Agora (B.A) ] - [BH/MG/Brasília-DF] - Ano: 2015 ■ Filiado: Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ | SJPMG) - Federação Internacional dos Jornalistas (FIJ) & na Ordem dos Jornalistas do Brasil (OJB) ■ Diretor em Minas Gerais da Associação de Imprensa Nacional (AIN) e apoio no setor Jurídico. _____________________________________________________________________ ■ Publicidade & Divulgação de Notícias MKT: Publicitário e Diretor [ Agência Grupo Conteúdo (GC) - Administradora de Jornais / Sites ] _____________________________________________________________________ ■ Advocacia: Advogado Gestor [ FJB Advocacia - Assistência Jurídica & Empresarial / Digital ] - "Associação dos Advogados Empreendedores - (AAE/OAB)". _____________________________________________________________________ ■ Canal 'Crítica Musical' com Felipe de Jesus (YouTube): https://www.youtube.com/channel/UCIWDiTUL9F-xlKwov43B5nQ _____________________________________________________________________ ■ Formação Acadêmica (Graduações): Apaixonado pela área acadêmica, Felipe de Jesus é Jornalista (Faculdade Estácio de Sá - BH/MG), Publicitário (Instituto Politécnico-SP), Teólogo (Faculdade ESABI), Sociólogo (Faculdade Polis das Artes), Economista (USIP) & Advogado (FACSAL). Tem Mestrado em Comunicação Social: Jornalismo e Ciências da Informação (UEMC) e atualmente cursa Eng. de Telecom. (Faculdade Nossa Senhora Aparecida) e Bacharelado em Ciências Musicais (Música) pela FACOR/MG. _____________________________________________________________________ Com larga experiência em coberturas da área de Cultura (Jornal & Assessoria de Imprensa): Shows, lançamentos de álbuns, livros e exposições de arte, trabalhou durante anos, também, fazendo coberturas e matérias na área de Economia (ao qual acabou se graduando posteriormente). Atualmente, além de editorar alguns portais de notícia no país, ser redator e administrador, escreve duas colunas semanais. Com a "Crítica Musical" (coluna que está no CulturalizaBH - Portal Uai ao qual é editor e financeiro) e a coluna "Opinião & Comportamento", que durante anos ficou no portal da RedeTV e hoje está no portal "Rondônia Digital". Desta coluna, surgiu o E-book: "Sociedade Conectada: A Influência da Internet no Cotidiano" - Ed. Escrita Certa (2019). "A escrita é a minha maior paixão" (Felipe de Jesus). ________________________________________________________________________ [ Siga o Instagram: @felipe_jesusjornalista ]