Síndrome do Olho Seco aumenta durante o outono e inverno Clima seco contribui para o efeito, mas não é o único fator

Adriana Bonfioli – Crédito André Delfino (1).

Com baixas temperaturas e o tempo seco, característicos do outono e inverno brasileiros, muitas doenças aparecem com maior frequência, como gripe, rinite alérgica ou asma. Porém, uma condição que atinge cerca de 40% da população é pouco abordada: a síndrome do olho seco. 

A especialista em oftalmologia e diretora administrativa do Grupo Awor Saúde, Dra. Adriana Bonfioli, explica que essa síndrome pode ser causada pela falta de lágrimas ou por fatores ambientais como ar condicionado e uso constante do computador. 

“O tempo crescente que as pessoas passam na frente das telas contribui para o ressecamento ocular, uma vez que o número de piscadas diminui muito, aumentando a evaporação da lágrima”. 

Entre os sinais e sintomas dessa condição, estão: ardor, vermelhidão, visão embaçada, lacrimejamento, secreção mucosa e sensação de areia nos olhos. 

“Um dos principais sinais de olho seco é o excesso de lágrimas. Isso pode parecer contraditório, porém, o reflexo de produzir mais lágrimas, neste caso, é uma forma de defesa dos olhos. O ressecamento ocular causa inflamação, o que, por sua vez, estimula a produção lacrimal e resulta em lacrimejamento.”

Apesar de ter outras causas possíveis, o lacrimejamento associado a sintomas de irritação ocular, especialmente em pessoas que usam o computador ou o celular durante muitas horas por dia, é bastante indicativo de olho seco. Essa condição, apesar de não ser grave, pode impactar consideravelmente na qualidade de vida.

 “A solução, para quem não pode ou não consegue ficar livre das telas, é manter-se bem hidratado e usar colírios lubrificantes. Além disso, nessa época de tempo seco, é possível recorrer a umidificadores de ar, tanto no trabalho quanto no quarto, durante a noite.” 

Estão disponíveis no mercado inúmeras opções de lubrificantes oculares. Para que seja feita a melhor escolha, o oftalmologista precisa fazer um exame completo e determinar o tipo de olho seco. Em alguns casos, podem ser necessários colírios anti-inflamatórios ou antialérgicos associados.

É importante ficar atento porque outras condições também podem estar relacionadas à síndrome do olho seco, como doenças reumatológicas, blefarite, diabetes, deficiência de vitamina A, entre outras. 

Sobre o grupo Awor Saúde

O grupo Awor Saúde chega à Região Metropolitana de Belo Horizonte para oferecer atendimento e tratamento médico diferenciados. Em um único lugar, os pacientes encontram toda a infraestrutura necessária para consultas e exames, com praticidade, conforto, qualidade e tecnologia de ponta.

Localizadas no Complexo Lifecenter, estão as unidades Awor Oftalmologia, Awor Otorrinolaringologia, Awor Mulher e Awor Longevidade. Neste local, várias especialidades médicas estão disponíveis, como: oftalmologia, otorrinolaringologia, mastologia, ginecologia e obstetrícia, geriatria, endocrinologia, cardiologia, nefrologia, gastroenterologia e urologia.

A Awor Saúde conta também com unidades multiespecialidade localizadas nos bairros Barreiro (Belo Horizonte) e Eldorado (Contagem).

Call center: (31) 3227-1000 ou (31) 3287-0473

Whatsapp: (31) 98777-2100

Agendamento online:

https://components-legacy.feegow.com/index.php/agendamento-online/client/5523640-AAAW#

Mais informações: aworsaude.com.br

Artigo anteriorCCJ cancela reunião para votar homeschooling e Estatuto do Índio
Próximo artigoMinistério da Saúde distribui aos estados mais 4 milhões de vacinas
■ Jornalismo: Jornalista há mais de 15 anos, Editor e um dos fundadores do jornal [ Brasil Agora (B.A) ] - [BH/MG/Brasília-DF] - Ano: 2015 ■ Filiado: Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ | SJPMG) - Federação Internacional dos Jornalistas (FIJ) & na Ordem dos Jornalistas do Brasil (OJB) ■ Diretor em Minas Gerais da Associação de Imprensa Nacional (AIN) e apoio no setor Jurídico. _____________________________________________________________________ ■ Publicidade & Divulgação de Notícias MKT: Publicitário e Diretor [ Agência Grupo Conteúdo (GC) - Administradora de Jornais / Sites ] _____________________________________________________________________ ■ Advocacia: Advogado Gestor [ FJB Advocacia - Assistência Jurídica & Empresarial / Digital ] - "Associação dos Advogados Empreendedores - (AAE/OAB)". _____________________________________________________________________ ■ Canal 'Crítica Musical' com Felipe de Jesus (YouTube): https://www.youtube.com/channel/UCIWDiTUL9F-xlKwov43B5nQ _____________________________________________________________________ ■ Formação Acadêmica (Graduações): Apaixonado pela área acadêmica, Felipe de Jesus é Jornalista (Faculdade Estácio de Sá - BH/MG), Publicitário (Instituto Politécnico-SP), Teólogo (Faculdade ESABI), Sociólogo (Faculdade Polis das Artes), Economista (USIP) & Advogado (FACSAL). Tem Mestrado em Comunicação Social: Jornalismo e Ciências da Informação (UEMC) e atualmente cursa Eng. de Telecom. (Faculdade Nossa Senhora Aparecida) e Bacharelado em Ciências Musicais (Música) pela FACOR/MG. _____________________________________________________________________ Com larga experiência em coberturas da área de Cultura (Jornal & Assessoria de Imprensa): Shows, lançamentos de álbuns, livros e exposições de arte, trabalhou durante anos, também, fazendo coberturas e matérias na área de Economia (ao qual acabou se graduando posteriormente). Atualmente, além de editorar alguns portais de notícia no país, ser redator e administrador, escreve duas colunas semanais. Com a "Crítica Musical" (coluna que está no CulturalizaBH - Portal Uai ao qual é editor e financeiro) e a coluna "Opinião & Comportamento", que durante anos ficou no portal da RedeTV e hoje está no portal "Rondônia Digital". Desta coluna, surgiu o E-book: "Sociedade Conectada: A Influência da Internet no Cotidiano" - Ed. Escrita Certa (2019). "A escrita é a minha maior paixão" (Felipe de Jesus). ________________________________________________________________________ [ Siga o Instagram: @felipe_jesusjornalista ]