Pelo quarto ano, blocos se unem no Sonoriza Festival para arrecadar fundos para produção dos desfiles de carnaval de Belo Horizonte

0
74

Evento de financiamento carnafestivo reúne seis grandes blocos da capital mineira responsáveis por arrastar mais de 980 mil foliões em 2018. Valor arrecadado será dividido entre os participantes para investirem em equipamentos de som e trio elétrico para o desfile de carnaval

Janeiro chegou e já está na hora de se preparar para tirar a fantasia do armário e aquecer os tambores para o carnaval. Mas para fazer o Carnaval de Belo Horizonte ser um sucesso como em 2018 é preciso ter condições de colocar os Blocos na rua. Por isso, numa “pegada” colaborativa, os responsáveis pelos grupos buscam financiamento para que a festa não pare.

Com essa proposta, no dia 19 de janeiro, sábado, a capital mineira recebe a quarta edição do Sonoriza Festival – Todxs juntxs para construir o carnaval!, evento de financiamento carnafestivo. A edição deste ano terá a realização e participação dos blocos Então, Brilha!, Juventude Bronzeada, Havayanas Usadas, Garotas Solteiras, Pena de Pavão de Krishna Tchanzinho Zona Norte. O evento será realizado na Serraria Souza Pinto (Av. Assis Chateaubriand, 899, Centro), a partir das 14h e terá 12h de música. Os ingressos, totalmente revertidos aos Blocos, custam R$ 25,00 e podem ser adquiridos no Sympla e nos pontos de venda Laicos, Mi Corazón e Estação Carnaval.

Criado em 2016, o Sonoriza é fruto da união de seis blocos do carnaval de Belo Horizonte que, sem dinheiro para arcar com todos os custos de infraestrutura para participar do evento com trios elétricos e som, resolveram promover uma festa para arrecadar os recursos. Desde então, o valor conquistado é dividido igualmente entre os participantes para investirem na estrutura necessária para levar alegria à cidade. “No primeiro ano de evento garantimos a locação do carro de som compartilhado entre os blocos participantes. Nas últimas edições também não foi diferente e, agora, o Sonoriza cresceu e chega no formato de festival. Acreditamos no colaborativo. A proposta é fazermos juntos para proporcionarmos melhores condições para os blocos desfilarem no carnaval, principalmente com uma estrutura de som melhor. É um evento importante para sustentabilidade e participação desses blocos no Carnaval de Belo Horizonte”, conta Bell Magalhães sócia da produtora A Macaco, uma das realizadoras do Sonoriza ao lado daJângalove, produtora de Marco Sassen Panerai que completa: “Este ano chegamos maiores, como um festival em que além das atrações musicais proporcionamos experiências ao público. Além dos blocos  teremos área gastronômica e a Feirinha Estação Carnaval com make para os dias de folia, fantasias, acessórios; entre outras novidades que vão entreter quem passar pela Serraria Souza Pinto”.

Márcio Gabrich, produtor do Garotas Solteiras, afirma que o Sonoriza é a principal fonte de financiamento do bloco. “Desde que começamos a participar do Sonoriza ele se transformou na nossa principal fonte de receita para arcar com os custos do evento. Sem ele não teríamos colocado o bloco na rua nos últimos dois anos. Além disso, o evento também é um momento de celebração, é o dia em que reencontramos amigos e temos a oportunidade de ver o trabalho dos outros blocos”, conta Gabrich.  O bloco dedicado às divas da música pop, este ano homenageará a cantora Lady Gaga.

Já a produtora e integrante da banda do Pena de Pavão, Dezza Coutinho, ressalta que o evento reforça o conceito de união entre os blocos. “São seis grandes blocos que se unem e reforçam o porquê da existência do carnaval de BH. O Sonoriza também mostra a nossa capacidade de fazer uma festa coletiva e manter a cultura do carnaval na cidade”. Para 2019, o bloco homenageará o Mestre Moa do Katendê, assassinado durante uma discussão política na Bahia. “Quando desfilamos em Caeté ele participou do nosso desfile. Moa também realizou algumas oficinas para os integrantes da nossa bateria e presenteou o Pavão com uma música”, destaca Dezza Coutinho. O Pena abraça a causa da preservação das águas em parceria com o Instituto Macunaíma e este ano o desfile também será na região do Barreiro.

O Sonoriza é realizado pelos blocos Então, Brilha!, Pena de Pavão, Garotas Solteiras, Havayanas Usadas, Tchanzinho Zona Norte, Juventude Bronzeada e pelas produtoras A Macaco e Jângalove.

Staff inclusivo

Com a proposta de dar oportunidades para pessoas que geralmente não conseguem espaço no mercado de trabalho, a produtora A Macaco Indústria Criativa inclui, na contratação de seu Staff, transexuais. E no Sonoriza não será diferente. “É um trabalho que realizamos há algum tempo. Damos oportunidades para pessoas que geralmente não conseguem uma colocação de trabalho integrar-se ao staff do evento. Contratar transexuais é uma maneira de mostrar que todos somos bem-vindos em qualquer atividade”, ressalta Bell Magalhães.

Os trans selecionados e treinados passam a fazer parte do Staff da produtora onde a identidade de gênero do transexual é respeitada. “Sabemos que somos uma gota no oceano quando se fala de empregabilidade para pessoas transgêneras no Brasil, mas esta é a forma que encontramos de combater o quadro de exclusão enfrentado por esta parcela da população”, completa Magalhães que já viu casos de trans que atuaram em seus eventos e depois tiveram oportunidade de trabalho e emprego a partir do conhecimento ali adquirido. “Queremos que mais empresas e empresários  se sintam à vontade para  construir um ambiente que zele pela oportunidade das pessoas serem quem são”, completa.

Além de proporcionar a oportunidade de trabalho, A Macaco também oferece um treinamento com o intuito de preparar os profissionais para trabalharem no evento, a capacitação é realizada na sede da produtora. No início do projeto, A Macaco contava com a parceria da Transvest, ONG que trabalha com a proposta de combater a transfobia e fazer a inclusão de travestis, transexuais e transgêneros na sociedade. Hoje, todo o processo de seleção e treinamento é de responsabilidade da Macaco.

O staff inclusivo formado pelos transexuais vai trabalhar na bilheteria, nos bares e na portaria do Sonoriza, bem como no atendimento ao público.

Carnaval 2019

O carnaval da capital mineira terá 23 dias este ano. Oficialmente, a festa começa no dia 16 de fevereiro e encerra em 10 de março. A expectativa da Belotur é que o carnaval de Belo Horizonte seja uma das maiores festas de rua do país. Ainda de acordo com a Belotur, a cidade deve receber 4,5 milhões de foliões. Somente este ano, BH terá 180 novos blocos, totalizando 590.

Levantamento da Prefeitura de Belo Horizonte aponta que, em 2018, a cidade recebeu 3,8 milhões de pessoas, um crescimento de 26% em relação a 2017. A folia do momo também gerou uma receita de R$ 641 milhões, levando em consideração o período de 9 a 14 de fevereiro.

Serviço

Sonoriza Festival

Data:16 de janeiro, sábado

Horário: 14h

Local: Serraria Souza Pinto (Av. Assis Chateaubriand, 899, Centro)

Atrações: Então, Brilha!, Juventude Bronzeada, Havayanas Usadas, Garotas Solteiras, Pena de Pavão de Krishna (PPK) e Tchanzinho Zona Norte

Ingressos: R$ 25,00

Pontos de venda: Laicos (R. Ceará, 1580, Savassi); Mi Corazón (R. Sapucaí, 511, Floresta), Estação Carnaval (Av. Álvares Cabral, 369, Lourdes) e Sympla.

Informações:https://www.facebook.com/events/780328105634126/

Informação para imprensa e agendamento de entrevistas

Pessoa. Agência de Relações Públicas – (31) 3235-9159

Erika Pessôa – [email protected] – (31) 99347-3993

Iaçanã Woyames – [email protected] – (31) 99226-8697

Igor Basilio – [email protected] – (31) 99443-8170

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here