Saúde mental pode influenciar saúde bucal, entenda

0
249

Pesquisa mostra que casos de depressão aumentaram quase 100% durante isolamento social; doença pode influenciar surgimento de problemas na boca

O período de pandemia da Covid-19 tem sido um momento difícil para diversas pessoas. Além da doença em si que causa alarde, outros problemas se tornaram preocupação entre especialistas. De acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), os casos de depressão aumentaram cerca de 90% no Brasil durante o isolamento social. Enquanto isso, a ansiedade obteve aumento de 71% e o estresse cerca de 40%. Esses dados além de refletirem a saúde mental abalada da população também causa outro alerta: as consequências para a saúde bucal.

A cirurgiã dentista Ludimilla Abi-Saber Toledo, explica que muitos transtornos psicológicos podem causar doenças na boca comuns entre a população. Uma delas é o bruxismo. “Nas últimas semanas, os casos de bruxismo aumentaram no consultório. Além de ser uma doença relacionada ao fator genético, ela também está ligada ao estresse e ansiedade. E o bruxismo pode causar diversos incômodos, como dores de cabeça, no pescoço e na mandíbula, zumbido no ouvido e alterações no sono. Os principais riscos também estão ligados aos traumas dentários, o desgaste dos dentes e problemas na gengiva que podem ser uma porta de entrada para outras doenças e infecções”, esclarece.

Outros problemas bucais comuns decorrentes da saúde mental abalada podem ser a boca seca – ou Xerostomia – e a periodontite. “Ambas podem causar infecções e diversos problemas graves para a saúde bucal”, alerta a dentista.

Ludimilla destaca que a melhor forma de evitar tais transtornos é mantendo os cuidados gerais com o corpo. “Por isso, sempre destacamos que a saúde física e mental devem receber a mesma atenção. Geralmente, elas sempre estão interligadas. Principalmente agora durante o período de pandemia, continuar mantendo contato, mesmo à distância, com profissionais de diferentes especialidades é importante”, garante.

Fonte: Ludimilla Abi-Saber Toledo, cirurgiã dentista, especialista em periodontia e capacitada em harmonização facial. É professora na pós-graduação em periodontia da Faculdade São Leopoldo Mandic e sócia da Clínica Vitácea, em Belo Horizonte.

Artigo anteriorSexo na terceira idade auxilia no bem-estar, saúde e autoestima
Próximo artigoBrasil é o país mais ansioso do mundo, segundo OMS
[ Jornalista e Editor do Brasil Agora - em BH/MG] - Graduação: Jornalista (FESBH), Teólogo (F.ESABI), Sociólogo e Letras (F.Polis das Artes) e Economista (UNIP). Tem Mestrado em Comunicação Social: Jornalismo e Ciências da Informação (Universidade Europeia Miguel de Cervantes/UEMC), Doutorado Prof. em Ciências Sociais e Políticas (USIP) e atualmente cursa Direito (UNIESP-BH). Apaixonado por música, colabora no "CulturalizaBH/Portal UAI" e na "TV Balcão" com a coluna "Crítica Musical" falando sempre sobre álbuns, coberturas de shows e etc. Tem como hobbie comprar CDs e também vinis. É também apaixonado por Sociologia, tanto que de sua graduação em Ciências Sociais: Sociologia, se tornou colunista de Opinião & Comportamento do portal da "RedeTV!" e "Rondônia Digital" e desta coluna, nasceu o "E-book: Sociedade Conectada: a Influência da Internet no Cotidiano". Da Economia, área ao qual foi repórter e sub-editor, se tornou colunista no "Divulga Gerais" após sua graduação em Ciências Econômicas: Economia. É colaborador de Jornais/Portais de Notícias, Diretor do Grupo Conteúdo - Agência de Notícias - Sites e também editora e assina matérias em alguns jornais de Minas Gerais e do Brasil. A escrita é sua maior base e paixão no Jornalismo. [ Siga o Instagram: @felipe_jesusjornalista ]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui